Gravidez: será que é preciso sofrer com a as pernas inchadas?

Tempo de leitura: 10 minutos

Na gravidez você não precisa ter as pernas inchadas…

A gravidez gera grandes alterações no organismo feminino e uma das mais intensas experiências da vida da mulher. As emoções vão da felicidade ao desespero em frações de segundo (nós que somos pais sabemos muito bem disso!!) e o corpo da mulher sofre transformações substanciais. São 40 semanas de preparo para o parto.

gestação, inchaço

Será que tudo o que acontece no organismo da mulher durante a gravidez realmente precisaria ocorrer?

A resposta é NÃO! Muitas alterações e desconfortos ligados à gravidez são consequências do preparo para o parto, mas não exatamente necessários ao ato de dar à luz. Não ficou claro? Então digamos que algumas mudanças são um “efeito colateral” de modificações químicas e hormonais no organismo da futura mamãe, secundárias aos hormônios circulantes e maior volume sanguíneo relativo nas grávidas.

Retenção de líquido…

Pode-se dizer que há durante a gravidez um maior acúmulo de líquidos, que pode ser notado na face das gestantes, que ficam mais cheias, nas mãos e inclusive nas pernas. Essa “retenção hídrica” é, em parte, responsável pelo edema (mais conhecido como inchaço) nos pés e tornozelos. O processo geralmente é progressivo e tanto maior quanto mais avançada a fase da gravidez. No primeiro trimestre já pode ser notado, mas tende a agravar-se no fim da gestação.

Só a retenção de líquido justifica o inchaço nas pernas das gestantes?

Não é somente o acúmulo de líquido no organismo da grávida que leva ao edema das pernas. Com o progredir da gestação, o útero vai aumentando de volume e no terceiro trimestre, com o rápido crescimento do feto, naturalmente ocorre uma compressão das veias do abdome (veia cava inferior e veias ilíacas) e esse fenômeno dificulta a circulação do sangue das pernas de volta ao coração, contribuindo para o edema ou inchaço.

Varizes na gravidez…

varizesAlém destes fatores, existem mulheres que têm uma predisposição ao desenvolvimento de varizes nas pernas, que é altamente influenciada pela gestação. A predisposição é familiar, ou seja, genética, mas a elevada concentração sanguínea de um hormônio em particular, chamado progesterona, contribui e muito para o agravamento de varizes e vasinhos pré-existentes, ou mesmo para o aparecimento das varizes durante este período. A progesterona age relaxando a musculatura lisa do útero e é o hormônio responsável por manter a gravidez até o final (nos casos normais), porém também promove o relaxamento das veias, pois estas também têm músculo liso, o que gera a flacidez destes vasos.

Existem alguns estudos que já demonstraram receptores específicos para os hormônios femininos em varizes de algumas mulheres. Isso pode explicar parcialmente a preponderância das varizes no sexo feminino em comparação com o sexo masculino e de alguma forma justificar o desenvolvimento de varizes nas gestantes. Assim, as varizes também podem levar ou agravar o inchaço das pernas. Esse é um exemplo típico de que nem tudo na gravidez é realmente um preparo para o parto. Agravamento ou desenvolvimento de varizes na gravidez acontecem como consequência de outros fatores próprios da gestação.

Mas não é só isso. Tem mais… infelizmente!

Aquelas mulheres que ganham peso excessivamente durante a gravidez também têm mais um agravante para gerar inchaço nas pernas (aliás, sobrepeso não combina com nada!).

Como amenizar o inchaço das pernas na gravidez?

Medidas simples podem ajudar bastante para controlar o edema gestacional das pernas (não só na gestação).

Como é de senso comum, elevar as pernas sem dúvida vai melhorar o inchaço.

repouso

Controlar o consumo de sal é fundamental, pois junto com sal, há maior retenção de líquido e portanto mais inchaço. Deve-se tomar cuidado com o consumo indireto do sódio, pois muitas vezes pensamos que não estamos ingerindo sal e certos alimentos contém sódio bem acima do recomendável. Um bom exemplo para isso são os refrigerantes diet. Uma latinha de refrigerante diet costuma ter o dobro de sódio dos refrigerantes normais (mas o refrigerantes normais tem um montão de açúcar, portanto é melhor evitar os refrigerantes!). Da mesma forma, queijos, azeitonas, embutidos, shoyu, etc. têm sódio demais, portanto, cuidado.

menos sal

Meias elásticas

Outra medida que pode ajudar na prevenção ou controle do edema das pernas é o uso de meias elásticas (meias de compressão). Só de ouvir falar, muita gente torce o nariz, mas elas ajudam bastante. Pode ser difícil no começo, mas quem é persistente adapta-se rapidamente e logo percebe os benefícios. Entretanto existem certas regras que devem ser seguidas. A maneira correta de usar as meias elásticas é calçá-las pela manhã e ficar o máximo de tempo com elas, preferencialmente até o fim do dia. Muita gente me pergunta se é necessário calçá-las antes de sair da cama. Idealmente sim, mas na prática não. Explico. A lógica de usar as meias elásticas é calçá-las antes do edema se instalar (geralmente o inchaço vai aumentando no decorrer do dia; pela manhã as pernas costumam estar desinchadas). Portanto deve ser pela manhã (a não ser para quem trabalha a noite). Para quem tem hábito de tomar um banho matinal, calçar as meias antes de sair da cama é um problema. O que oriento às minhas pacientes, é que façam seu toalete e banho e após isso calcem as meias. Não são 20 ou trinta minutos que vão fazer a diferença. Lógico que seu banho for de uma hora…também teremos um problema.

meias de compressãoOutra dúvida comum, é sobre a extensão das meias. Precisa ser meia calça? Para alívio de muitas mulheres, as meias até o joelho, ou seja, as meias 3/4, são mais do que o suficiente para a maioria das grávidas. Porém, se você preferir uma meia 7/8 ou meia calça, vá em frente, aí é questão de opção. Porém, lembre-se, meias de compressão devem ser vendidas com receita, portanto, consulte um médico, preferencialmente um cirurgião vascular, para saber qual compressão usar. E na hora de comprar, o vendedor deve tomar as medidas da  sua perna, afinal uma meia para alguém de 1,5m de altura não é a mesma para uma grávida de 1,8m.

Agora, NÃO tenho uma notícia boa: usar meias elásticas não previnem as varizes. Isso mesmo, se você está usando, ou pretende usá-las com este objetivo, esqueça. Elas são ótimas para conter o inchaço e melhorar a sensação de peso nas pernas, mas prevenir o aparecimento e agravamento das varizes, não!

Mas tenho uma notícia BOA também: varizes tendem a diminuir bastante após o parto, e assim, saber se você precisará de algo específico como cirurgia ou só aplicações para os vasinhos, só depois de uns três meses após dar à luz. (Saiba mais sobre escleroterapia de veias e cirurgia para varizes).

Está gostando deste artigo?

Cadastre-se e seja informado de novos artigos memoráveis como este.

privacy Nunca enviamos spam!

Drenagem linfática

drenagem linfáticaOutro procedimento para diminuir o edema nas pernas, é drenagem linfática, que consiste em massagear os linfonodos (gânglios linfáticos) e os membros como um todo para auxiliar na mobilização do líquido acumulado nas pernas. O resultado costuma ser muito bom, logicamente dependendo do tempo e tamanho do edema, da adesão da paciente ao tratamento e controle de outros fatores, como o consumo de sal, por exemplo, e da experiência do profissional que está fazendo a drenagem. Certifique-se que aquela pessoa que se identifica como especialista no assunto seja realmente qualificada para fazer sua drenagem linfática. Não entre no primeiro salão de cabeleireiro da esquina! Profissionais da área de fisioterapia são os mais indicados.

Atividades físicas são essenciais para controlar o inchaço das pernas

musculação

Como já explicado em outro post do blog, a circulação venosa das pernas está intimamente relacionada com os músculos da panturrilha. Quanto mais tonificado o músculo, melhor (até certo limite – deixemos de lado os exageros), pois as veias e os vasos linfáticos trabalham melhor. Já pessoas sedentárias têm uma circulação venosa menos favorável, tendendo a ter mais edema nas pernas. Portanto, se quiser ter menor chance de ter as pernas inchadas na gravidez, mãos à obra e vamos para a academia! Respeite sempre a orientação de seu obstetra quanto às atividades que pode fazer, e se pode fazer, para não prejudicar sua gestação. E lembre-se, para sua circulação, é sempre recomendável praticar exercícios físicos.

Medicamentos para inchaço nas pernas das grávidas

cuidadoApesar da formação médica, sou muito conservador na indicação do uso de medicamentos. Sei que seria mais fácil tomar um comprimido e pronto, tudo resolvido. Mas a vida real não é assim. Primeiro porque essa pílula mágica não existe, segundo, porque medicamentos não combinam muito com a gravidez, sempre pense que seu bebê poderá estar sendo medicado por tabela; tenho certeza que está pensando na saúde de seu bebê também além do seu próprio conforto. Obviamente que em casos específicos, a grávida precisa de medicamentos específicos, mas se puder evitar, melhor. Prefiro que você seja consciente e tente controlar o inchaço das pernas coma as medidas mais conservadoras e mudança de hábitos de vida. Porém, em último caso, existem medicamentos que podem ajudar; eles são coadjuvantes, não os atores principais do tratamento.

Espero ter ajudado.

Boa sorte com seu bebê e até mais,

 

Links interessantes:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26477632

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S096721099800132X

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8176043

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmedhealth/PMHT0023077/