Sabonete “antibacteriano”: você acredita?

Tempo de leitura: 4 minutos

Ao comprar um sabonete ou produtos de higiene você procura por um rótulo  “antibacteriano”? Com isso você espera que sua família esteja segura? Caso acredite nisto, após ler este artigo você não será o mesmo.

Fundamentalmente, este blog é dedicado a informar sobre doenças ou problemas relacionados à circulação, porém não resisti em escrever sobre os autointitulados sabonetes “antibacterianos”.

O que são sabonetes “bactericidas ou antibacterianos”?

Os autointitulados sabonetes bactericidas contém algumas substâncias que não são encontradas nos sabonetes comuns. Estes ingredientes são adicionados aos produtos com o intuito de reduzir ou prevenir infecções bacterianas.

Até há bem pouco tempo, 19 substâncias eram utilizadas com este propósito nos Estados Unidos. Entretanto, num passado recente, mais precisamente em 02 de setembro de 2016, o FDA (Food and Drug Administration), a agência americana que controla a comercialização de medicamentos, composição dos alimentos e etc., proibiu o uso destas substâncias para tal finalidade.

Os princípios ativos mais comuns nestes sabonetes são triclosan (sabonete líquido) e triclocarban (sabonete em barra), sendo que estas substâncias podem, na verdade, trazer mais riscos que benefícios, uma vez que podem provocar resistência a antibióticos e alterações em hormônios da tireóide.

Consumidores podem pensar, e são induzidos a isto pelos inúmeros e absurdos anúncios publicitários, que os sabonetes “bactericidas” são mais efetivos em eliminar bactérias que os sabonetes comuns, porém não há evidencia cientifica que sustente isso. Lembram-se dos anuncio e do rotulo do Protex que promete eliminar 99,9% das bactérias???? Pois é…

Após avaliar bem o assunto, o FDA em 2013 solicitou da indústria que produz esses produtos, informações a respeito da segurança e efetividade dos tais sabonetes. Qual foi o resultado? Muito pouca informação foi enviada e as que foram enviadas eram inconsistentes. Resultado, o FDA suspendeu a comercialização de produtos que contem 19 substâncias, entre elas as mais utilizadas – triclosan (sabonete líquido) e triclocarban (sabonete em barra)- pela falta de evidência científica da maior eliminação das bactérias além daqueles sabonetes comuns.

No Brasil, a Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, é uma entidade civil sem fins lucrativos, independente de governos e empresas, que atua na defesa dos direitos dos consumidores brasileiros, realizando, entre outras ações, testes sobre os mais diversos produtos. Em 2012 foi publicado o resultado de uma avaliação nos produtos bactericidas vendidos aqui e os resultados não foram nada animadores. A maioria não cumpriu o prometido, além disso, o líder do mercado, o Protex, foi um dos piores avaliados. A proteste não tem os poderes do FDA para suspender a venda destes produtos, mas é uma boa diretriz para os consumidores não serem tão vergonhosamente enganados.

Lavar as mãos em água corrente com sabonetes comuns ainda é uma das melhores maneiras de se evitar contaminação ou disseminar bactérias aos outros. Caso água corrente e sabão não estejam disponíveis, o CDC (Center for Disease Control) recomenda que sejam usados agentes com pelo menos 60% de álcool (exemplo, álcool gel).

Substâncias proibidas nos Estados Unidos

  • Cloflucarban
  • Fluorosalana
  • Hexaclorofeno
  • Hexilresorcinol
  • Éter-sulfato de amônio e monolaurato de sorbitano de polioxietileno
  • Éster fosfato de ariloxialquila de polietilenoglicol
  • Complexo iodo etanol, nonil fenoxi-polioxietileno
  • Iodopovidona (concentração de 5% a 10%)
  • Complexo de iodo e cloreto de undecoylium
  • Cloreto de metilbenzetônio
  • Fenol
  • Amyltricresols secundário
  • Oxicloroseno de sódio
  • Tribromsalan
  • Triclocarban
  • Triclosan
  • Corantes verde brilhante, violeta de genciana e hemissulfato de proflavina

 

O Que fazer então?

Continue lavando suas mãos com sabonete comum e água corrente, esta e uma das melhores maneiras de evitar infeções e transmissão de bactérias entre os indivíduos no dia a dia .

Quando lavar as mãos? (recomendações do CDC)

  • Antes durante e depois de preparar alimentos
  • Antes de comer
  • Antes e depois de cuidar de alguém doente
  • Depois de usar o banheiro
  • Após trocar fraldas
  • Após assoar o nariz, tossir ou espirrar
  • Após tocar ou cuidar de animais
  • Após manipular lixo

Deixe seus comentários e sugestões.

Até o próximo artigo!

 

Proteste – resultado dos testes

https://www.proteste.org.br/saude-e-bem-estar/cuidados-com-a-pele/noticia/sabonetes-bactericidas-deixam-a-desejar

Proteste

http://www.proteste.org.br/quem-somos

FDA

http://www.fda.gov/forconsumers/consumerupdates/ucm378393.htm

FDA – triclosan

http://www.fda.gov/downloads/forconsumers/consumerupdates/ucm206222.pdf

FDA – final rule, no more triclosan / triclocarban

http://www.fda.gov/NewsEvents/Newsroom/PressAnnouncements/ucm517478.htm