Trombose: você sabe o que é?

Tempo de leitura: 4 minutos

Certamente você já ouviu falar de alguém conhecido que tenha desenvolvido uma “trombose”, e provavelmente ficou assustado com o acontecimento. Vamos então desmistificar o assunto e colocar as coisas no seu devido lugar.

A palavra “trombose” carrega um estigma enorme, e geralmente está associada a eventos sérios e que levam à morte. Frequentemente ouço pessoas dizendo que fulano morreu por trombose, que cicrano (é cicrano mesmo, não ciclano, como muita gente pensa…) teve uma trombose e perdeu a perna, etc, etc, etc. Realmente a trombose pode ser muito grave, mas felizmente a sua consequência mais séria, ou seja, a morte, é bem menor que a sua incidência.

O que é “trombose”?

Pois bem, trombose é a formação de um coágulo dentro de um vaso sanguíneo. A coagulação é extremamente importante, pois é esse fenômeno que nos mantém vivos, caso contrário, mesmo pequenos ferimentos que podem ocorrer na nossa vida diária, como pequenos arranhões, poderia nos levar à morte por hemorragias incontroláveis. Fenômeno que pode ocorrer em pessoas hemofílicas, ou seja, uma anomalia genética onde as pessoas não produzem uma coagulação adequada. Entretanto, a ocorrência da formação de coágulos intravasculuares geralmente não é normal, e quando isso ocorre, nós médicos, chamamos de trombose.

Toda trombose é igual?

Obviamente que não. Como eu mencionei anteriormente, há casos muito graves e casos que muitas vezes nem produzem sintomas e as pessoas onde elas se desenvolvem nem ficam sabendo que foram acometidas.
Além de existir uma amplo espectro de extensão, trombose pode ocorrer nas artérias ou nas veias, que são coisas diametralmente opostas.

Trombose arterial

As artérias são os vasos sanguíneos que saem do coração, e a maioria das artérias é responsável pela irrigação dos órgãos e tecidos do nosso organismo, ou seja, são as responsáveis por levar oxigênio e nutrientes, como por exemplo a glicose e aminoácidos, às células do nosso corpo.
A trombose arterial, portanto, é a formação de um coágulo dentro de uma artéria, e as consequências você já pode imaginar… Exatamente, ocorre a interrupção de fornecimento de oxigênio e nutrientes ao tecido acometido, e consequentemente pode ocorrer a morte das células que são supridas por esta artéria.
A trombose arterial pode ocorrer em qualquer artéria do nosso organismo, e a manifestação clínica vai depender de onde esse fenômeno acontece. Por exemplo, caso ocorra numa artéria do coração (artérias coronárias), pode se estabelecer um infarto do miocárdio, caso aconteça numa artéria que leva sangue ao cérebro, um acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI), e assim por diante. Como mencionei, esses eventos podem sem devastadores ou mesmo assintomáticos, ou seja, sem sintomas, dependendo da extensão e de outros fatores particulares de cada paciente.
Como cirurgião vascular, a maioria dos pacientes que me procura, ou que me são encaminhados, vem por tromboses nas artérias das pernas ou por tromboses ou estreitamentos que podem levar à trombose nas artérias carótidas (as principais artérias que levam sangue ao cérebro). Obstruções nas carótidas também podem levar a um AVCI (leia mais sobre AVCI).
Quando ocorre uma trombose numa artéria do membro inferior, ou seja, nas pernas, as consequências podem ser amputação do membro acometido, e eventualmente até a morte (leia mais sobre trombose nas artérias dos membros inferiores).

Trombose venosa

Quando a trombose se desenvolve numa veia, chamamos de trombose venosa, que pode ocorrer numa veia superficial (flebite superficial) ou numa veia profunda (trombose venosa profunda).
Geralmente esses eventos venosos ocorrem nas veias dos membros inferiores e, da mesma forma, as tromboses venosas podem ser assintomáticas ou catastróficas

Os sintomas clássicos são o edema (inchaço) e dor na perna acometida. A característica da dor é muito importante, pois não é qualquer tipo de dor que leva à suspeita de uma TVP. Habitualmente a dor decorrente da TVP é como um peso e cansaço que geralmente aumentam ao longo de dois ou três dias. Caso o inchaço acompanhe a dor, sem melhora ou com pouca melhora no decorrer deste período, fique atento e procure um cirurgião vascular. O grande risco de uma TVP não tratada é a ocorrência de uma embolia pulmonar, um evento potencialmente grave, que pode levar à morte. (leia mais sobre trombose venosa).

 

Espero que tenha esclarecido um pouco sobre o que é a temida “trombose”, porém não deixe de ler sobre os tópicos específicos: AVCI, trombose venosa profunda, trombose arterial nos membros inferiores

Deixe seus comentários ou sugestões. Faça contato e diga-nos sobre qual tema gostaria de saber mais.

Até o próximo artigo!